quinta-feira, 31 de agosto de 2017

MUNICÍPIOS BRASILEIROS TERÃO IMPACTO NO FPM COM BASE NA NOVA ESTIMATIVA POPULACIONAL

A população brasileira passou de 206.114.067 para 207.660.929 de habitantes, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na quarta-feira, 30 de agosto. A estimava populacional de 2017 apresenta aumento significativo de 0,77% ou 1.546.862 pessoas a mais em território nacional. Com base nos novos números, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) mostra como os dados vão impactar nos coeficientes do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e quantos e quais Municipios terão mudanças em 2018.

De acordo com as estimativas das populações residentes nos 5.568 Municípios brasileiros, com data de referência em 1º de julho,  56,5% dos habitantes estão concentrados em 5,6% das localidades. Em números, 117,2 milhões de pessoas residem em 310 cidades, que são aqueles com mais de 100 mil habitantes. O IBGE aponta ainda que 1.364 Municípios perderam população, 4.171 tiveram crescimento e apenas 35 permanecem com as médias anteriores.

Atualmente, as cidades menos e mais populosas do Brasil são Serra da Saudade (MG) e São Paulo, com 812 e 12.038.175 habitantes, respectivamente. No entanto, quase 70% dos Municípios possuem até 20 mil habitantes e abrigam apenas 15,5% da população do país – o que representa 32,2 milhões moradores. Quando se considera os Estados, os menores são: Roraima, Amapá e o Acre – com 829,6, 522,6 mil e 797,7 mil  habitantes – e os maiores são São Paulo, Minas Gerais e o Rio de Janeiro - com 16,71 milhões, 45 milhões e 21,11 milhões de de residentes.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Rodovia CE 257 que liga Ipueiras à Croatá recebe inspeção de técnico do Detran e curva da morte na ladeira da Matriz deve receber fiscalização eletrônica


A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, céu e atividades ao ar livre


O Secretário de Administração e Finanças João Paulo e o Secretário de Transportes Clairton Catunda acompanharam no início desta tarde de terça-feira (29) os técnicos rodoviários Nilton e Daniel do Departamento Estadual de  Trânsito – DETRAN na visita que realizaram na Ladeira da Matriz. O objetivo da visita foi averiguar as condições da curva que tem causado muitos acidentes naquela região e fazer o estudo específico com o objetivo de diminuir o risco de  acidentes no local. 
 A imagem pode conter: pessoas em pé, céu, atividades ao ar livre e natureza
De acordo com os técnicos, medidas devem ser tomadas de imediato no trecho para a segurança dos motoristas como o reforço de  sinalização, colocação do guard rail na curva e a colocação de  fiscalização eletrônica com limite de  40km/h. 

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé, árvore e atividades ao ar livre
 Segundo o Secretário João Paulo, o Prefeito Nenem do Cazuza já solicitou ao Departamento Estadual de  Rodovias – DER a visita de uma equipe de  engenheiros para fazer o estudo estrutural do local, segundo ele, com a visita dos profissionais, será possível elaborar um projeto que diminua os riscos de  acidentes.

Fonte: Prefeitura de Ipueiras 

Sete frases que o gestor deve evitar dizer a seus funcionários

É da competência do chefe manter a linha quando for transmitir ordens ou determinar tarefas ao empregado
Resultado de imagem para patrão chamando atenção do funcionario

O trabalho de gerenciar pessoas não é nada fácil. E, no dia a dia, a paciência do gestor é testada diante da falta de motivação, resistência de alguns funcionários em fazer o que está sendo pedido ou na hora de enfrentar um ou mais empregados-problema. E o fato de ser o chefe não significa que a pessoa é perfeita. Às vezes, acaba perdendo o controle e dizendo coisas que certamente irá se arrepender mais tarde.Mas, ao contrário do trabalhador”comum”, é da competência do chefe manter a linha quando se trata de comunicação verbal: não tem o luxo de dizer algo que lhe vem à cabeça quando se sente frustrado. A última coisa que queremos é que seus tropeços verbais acabem desmotivando sua equipe, causando, assim, problemas ainda maiores para a sua gestão e, de quebra, para sua empresa.A coach americana Lindsay Broder listou sete frases que devem ser evitadas, especialmente no calor do momento, e que podem causar danos à reputação do chefe e minar a confiança que os funcionários têm nele: a maioria dos gestores agem dessa forma com os funcionários. Na verdade são dois extremos, o que exerce seu autoritarismo e o que deixa à revelia inclusive fugindo de suas obrigações como gestor. Não ouve funcionários e pouco aparece para trabalhar.

Vamos então as sete dicas, que o gestor deve evitar dizer aos funcionários

“Eu sou o chefe. Faça o que eu digo” — Se o gestor estiver estabelecendo padrões diferentes para seus funcionários daqueles que tem para ele mesmo, não pode esperar que eles respeitem e cumpram com o que pede para ser feito.

“Você tem sorte de ter um emprego” — Se é assim que o gestor realmente se sente em relação a algum de seus funcionários, ele é que tem sorte de estar empregado, afirma a coach. Ninguém trabalha bem em um ambiente onde se sente de alguma forma em débito com o seu empregador. "A mentalidade de que o empregado deveria "beijar seu anel" é imatura e evidência falta a este profissional a capacidade de liderança", afirma Lindsay.

“Se você não gosta, vou encontrar alguém que faça” — Como gestor, o profissional dá as ordens, mas o cargo não lhe dá licença para ser um idiota. Qualquer um pode ser chefe, mas um bom gestor irá usar suas habilidades de liderança para motivar os funcionários e obter resultados. "Ameaçar os colaboradores com a perda de seus empregos como uma maneira de levá-los a cumprir as ordens não é sustentável. Claro que, num primeiro momento, eles podem fazer o que o chefe quer, mas, eventualmente, vão ficar desmotivados e sem vontade de fazer mais do que o mínimo necessário para sobreviver dentro da empresa. Isso no caso de não pedirem demissão", diz a especialista.

“Por que você é o único que tem um problema com isso?” — Se estamos falando de um funcionário que se mostra sempre resistente ou que tem problemas de desempenho, a melhor coisa a fazer é abordá-lo imediatamente e tentar resolver o problema. Já no caso de um empregado que é relativamente cooperativo, mas que está passando por uma situação difícil, talvez o problema seja com o chefe, que não está disposto a ouvir as preocupações ou ideias alternativas do funcionário. Ou talvez a pessoa esteja tendo um dia ruim. Seja qual for o problema, não assuma de cara que ela está sendo reticente sem razão. Segundo a coach, o chefe nunca deve comparar os funcionários. É como se compasse seus filhos, o que sempre é uma má ideia.

“Eu não tenho tempo para isso” — Fala sério!! Se é o chefe, seu trabalho é criar tempo para dar atenção a todos e buscar soluções para resolver problemas. Ouvir o que o funcionário tem a dizer é uma das principais funções de um gestor.

“Você não tem idéia do que é estresse” — Todo mundo tem seu próprio estresse. Só porque o gestor decidiu que o dele é maior do que todos os outros, não significa que é. Isso não dá direito a descontar nos outros.

“Você vê o meu nome na porta?” — Sim, e daí? É verdade que o executivo pode ter construído o negócio a partir do zero ou que investiu seu tempo e dinheiro para fazer da empresa o que ela é hoje. Mas ele não é Deus e jogar o peso de sua responsabilidade sobre os outros não é uma maneira produtiva de conseguir o comprometimento de seus funcionários.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Celular é 10 vezes mais sujo do que tampa do vaso sanitário, diz estudo


A maior parte das pessoas nem se dá conta, mas acaba usando o celular em todos os locais, do banheiro aos transportes públicos, da mesa à rua. Este pode não ser um bom hábito, de acordo com um estudo publicado no jornal NCBI, que concluiu que os celulares contêm milhares de bactérias.

Segundo a revista Time, o grupo de pesquisadores da Universidade de Tartu, na Estônia, analisou os celulares de estudantes do ensino médio e descobriu que estes dispositivos podem abrigar mais de 17 mil cópias de genes bacterianos.

Outro estudo, realizado por cientistas da Universidade do Arizona, revela que os celulares podem ter dez vezes mais bactérias do que uma tampa de sanitário, não só porque são limpos com muito menor frequência, como o próprio material pode permitir uma maior sobrevivência destes organismos. 

Para evitar possíveis contágios o melhor que pode fazer é lavar as mãos mais vezes e manter o celular longe de locais potencialmente contaminantes – como banheiros, hospitais ou transportes públicos, por exemplo.

Pode e deve ainda tentar desinfetar este aparelho pelo menos uma vez por mês, com um tecido de microfibra e uma combinação de 60% água e 40% álcool isopropílico (que não danifica os materiais do aparelho).

Nova Russas - Imprudência no trânsito resulta em mais uma vitima fatal

O acidente aconteceu no início da noite deste domingo 27/08/2017, na localidade de Sôssego - Nova Russas, quando o senhor Paulo Sérgio Sousa Alves, natural de Nova Russas, solteiro, filho de Francisco Alves do Nascimento e Maria das Graças Sousa Alves,  metalúrgico, residente na Rua Delmiro Farias Reis na cidade de Nova Russas, trafegava no sentido Sossego para Nova Russas, em uma motocicleta CG 125, de cor vermelha, sem placa, quando foi colhido por um veículo tipo Fiesta ano 2012, de cor preta, placas OIQ 4432 - Nova Russas, que era conduzido por Adriano Oliveira Pinto, nascido aos 14/07/1989, bancário (Banco do Brasil), divorciado, natural de Nova Russas, filho de  Simão Araújo Pinto e Francisca Elaine de Carvalho  Pinto, residente na Rua José Ferreira Pires, Bairro Pantanal em Nova Russas.
A polícia militar foi ao local, a viatura comandada pelo Sargento Santana , bem como uma ambulância do hospital local, onde as vítimas foram socorridas para o hospital de Nova Russas, porém o condutor da motocicleta não resistiu aos ferimentos e veio a óbito no hospital.
Em seguida a polícia acionou o rabecão do IML de Sobral para fazer a remoção do corpo.
Os veículos envolvidos no acidente foram levados para a delegacia de polícia para a realização dos procedimentos cabíveis.

domingo, 27 de agosto de 2017

Decisão judicial hilária - Um corretor de imóveis de Piracicaba, interior de SP, foi condenado a indenizar o PT em R$ 1 (um real)

Bruno Prata fez uma publicação em um jornal da cidade e usou a expressão "meliantes" para se referir aos petistas. O diretório do PT local abriu um processo contra o corretor, que acabou condenado pelo juiz.

Na sentença o juiz Eduardo Velho Neto, da 1ª Vara Cível local, estabeleceu R$ 1,00 a indenização a ser paga por Bruno.
O juiz ainda destacou na sentença: "Ouso dizer que o PT é o único partido, quer em âmbito Nacional ou Internacional, que tem, dentre seus filiados, a única alma pura existente na face da terra".

 ▼ abaixo um print da sentença ▼

sábado, 26 de agosto de 2017

Câmara e Senado Federal vão gastar R$ 10 bilhões este ano

Apenas 4% dos mais de cinco mil municípios gastam mais com saúde do que a Câmara Federal
O estratosférico custo das carreiras jurídicas no Brasil (Judiciário, Ministério Público e Defensoria Pública). 
A despesa do Poder Judiciário brasileiro é superior ao gasto, por habitante, de países como a Suécia, Holanda, Itália, Portugal, Inglaterra a Espanha. Grande parcela desses recursos é gasta com recursos humanos, ou seja, usado no pagamento dos altos salários e benefícios a juízes, procuradores e defensores públicos (que frequentemente se valem de artifícios para superar o teto constitucional).
Outra fonte por onde jorra generosamente o dinheiro público é o Poder Legislativo. Levantamento do Jornal Folha de S. Paulo (2003) revela que o congressista brasileiro é o segundo mais caro do mundo, comparando a outros 110 países, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.
Segundo a Associação Contas Abertas, o maior orçamento é o da Câmara dos Deputados que, além de 513 deputados, tem cerca de 16 mil funcionários. Para a Câmara, a previsão de gastos é de R$ 5,9 bilhões para este ano, sendo que 81% (R$ 4,4 bilhões) serão destinados ao pagamento de pessoal e encargos sociais.
Levantamento do portal Congresso em foco mostra que um deputado federal dispõe de R$ 168,6 mil por mês entre salário e benefícios (auxílio moradia, verba para contratação de funcionários e gastos com o gabinete)
Juntos, os 513 deputados custam, em média, R$ 86 milhões ao contribuinte todo mês; mais de R$ 1 bilhão por ano. Salário e benefícios de senadores são parecidos com o que recebem os deputados.
Levantamento da Contas Abertas mostra ainda que a Câmara dos Deputados dispõe de um serviço médico exclusivo gastando cerca de R$ 100 milhões por ano. O serviço dispõe de 82 médicos de 17 especialidades, mais emergência. Apesar de a Câmara ficar perto dos dois maiores hospitais de Brasília, o serviço tem tomógrafo novos e ambulância. Entretanto, os atendimento mais comuns, segundo informações do próprio departamento, são pressão alta, dor de cabeça, infecções de nariz e laringe e diarreia, problemas que poderiam ser resolvidas em um posto de saúde.
Com base nesses dados, a Contas Abertas verificou que apenas 4% dos mais de cinco mil municípios brasileiros gastam mais com saúde do que a Câmara Federal.
Além disso, deputados e senadores ainda dispõem de plano de saúde. O dos senadores atende também às família e tem despesas médicas reembolsáveis, inclusive odontológicas (até R$ 25,9 mil). O plano dos deputados oferece atendimento gratuito aos familiares no departamento médico da Câmara e garante reembolso de gastos com médicos e odontólogos.
A Contas Abertas informa que o orçamento total previsto para Câmara dos Deputados e o Senado Federal para este ano é de R$ 10,2 bilhões, valor que representa R$ 28 milhões por dia.
Se o Congresso estivesse mesmo pensando “no bem do Brasil”, quando fala em “reforma” e “modernização das leis trabalhistas”, deputados e senadores deveriam dar o exemplo. Poderiam cortar seus muitos excessos e enfrentar a casta privilegiada do serviço público. É muito fácil reduzir o Bolsa Família, debilitar o SUS; promover o desemprego e aumentar impostos enquanto as suas próprias benesses continuam intocáveis, como se fossem concedidas por direito divino.
NOTAS
QUANTO CUSTA UM DEPUTADO
Com salário mais benefícios, um deputado custa ao contribuinte R$ 168.662,44 por mês, equivalente a R$ 2.023.949,28 por ano.
SERVIÇO MÉDICO
O gasto da Câmara com o departamento médico passa de R$ 92 milhões ao ano. Gil Castelo Branco, diretor da Contas Aberta, diz que enquanto o “cidadão comum” é mal atendido no serviço público de saúde, ele paga para que “alguns tenham atendimento de primeiro mundo”. Para Castelo Branco, o atendimento oferecido aos deputados e famílias, deveria ser o “padrão para todo brasileiro”.

Contas AbertasCongresso Nacional custará R$ 28 milhões por dia em 2017Cidadão é quem paga saúde de primeiro mundo na CâmaraCongresso em FocoDeputados custam R$ 1 bilhão por ano ao contribuinte.

Super-ricos pagam pouco e ainda sonegam impostos

Super-ricos pagam pouco e ainda sonegam impostos
Já escrevi vários artigos a respeito da injustiça tributária da qual padece o Brasil. Quer dizer, os pobres, os remediados e a classe média são depenados no quesito “impostos”, enquanto os super-ricos gozam de benesses inaceitáveis em qualquer país nos quais seus governantes e políticos tenham um mínimo senso de justiça.
Agora, o governo de Michel Temer está aumentando impostos nos combustíveis para se salvar de um aperto. Mas falta coragem a ele, como faltou a outros governos, para mexer na injusta estrutura tributária brasileira, redistribuindo de maneira justa a carga de impostos.
O consultor Amir Khair, mestre em finanças pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), afirma que brasileiros com renda até dois salários mínimos gastam até 49% de seus rendimentos com tributos; os que recebem acima de 30 salários mínimos despendem apenas 26%. E você já deve saber, quanto ao imposto de renda, que a classe média é mordida pelo leão e os ricos são lambidos por um gatinho.
Mas isso não basta para eles.
Os milionários também cometem a “evasão” de impostos, nome bonito para a gatunagem praticada, pois ladrão é quem furta chiclete e desodorante em supermercado e não consegue habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF), por ser “reincidente”. (Liberdade que Rodrigo Rocha Loures conseguiu, talvez por ter sido a primeira vez que foi visto correndo com uma mala de dinheiro ou porque os juízes levaram em conta o “princípio da insignificância”, pois ele arrastava somente 500 mil reais.)
Investigação coordenada pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ, pela sigla em inglês) revelou imensa estrutura de evasão fiscal operada com o conhecimento da filial do banco britânico HSBC na Suíça. O caso ficou conhecido como Swiss Leaks e foi divulgado em 2015.
No período 2006/2007, o HSBC/Suíça tinha depósitos de mais de 100 bilhões de dólares, referentes a 106 mil clientes de 203 países. Do Brasil, eram 6.606 contas (de 8.667 clientes) com cerca de sete bilhões de dólares, equivalente a cerca de 20 bilhões de reais. Aos brasileiros não é proibido abrir conta em paraísos fiscais, desde que os impostos devidos sejam pagos, mas esse não era o caso.
Em seguida (2016), veio a público a montanha de documentos vazada da empresa Mossack Fonseca, que operava contas em paraísos fiscais para milionários, políticos e empresas do mundo inteiro, o “Panamá Papers”. Nos documentos o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) observou movimentações “atípicas” de pessoas e empresas brasileiras.
Continuando.
Ainda em 2016, a então presidente Dilma Rousseff sancionou a chamada Lei de Repatriação, permitindo que recursos mandados ilegalmente ao Exterior pudessem ser internalizados com pagamento das taxas. Ao fim do programa, a Receita Federal arrecadou cerca de 50 bilhões de reais de multas e juros. O valor dos “ativos” regularizados ficou em torno de 170 bilhões de reais.
Ou seja, esses magnatas tinham 170 bilhões de reais fora do País, sendo agraciados com a regularização dessa dinheirama, pois o “único crime” cometido fora o de sonegar impostos (isto é, tomar de escolas, creches, hospitais, saneamento básico etc.). Até hoje falta uma explicação clara para se saber se esses espertos cometeram mesmo “somente” a evasão fiscal ou havia crimes mais graves na origem desse dinheiro.
De qualquer forma, assim é a elite brasileira: privilegiada e trapaceira, ressalvadas as exceções neste segundo item.
NOTAS
IMPOSTO DE RENDA
Segundo dados da Receita Federal, as pessoas mais ricas do País, com rendimento mensal acima de 160 salários mínimos, têm tributado pelo IR apenas 6,51% de sua renda total.
CLASSE MÉDIA
As taxas do IR começam a ficar mais alta a partir de cinco salários mínimos, chegando ao máximo nos 20 a 40 salários mínimos, quando volta a cair. Ou seja, o peso desse imposto recai sobre a classe média.
POBRES
Se a classe média é castigada no IR, os pobres são apanhados na malha dos impostos que recaem sobre produtos e serviços (consumo), pilhagem que chega a quase metade da receita de quem ganha até dois salários mínimos.
Plínio Bortolotti

Você confia no médico que recebe presentes da indústria farmacêutica?

Um novo estudo sugere que os pacientes confiam menos em profissionais que aceitam brindes, viagens ou honorários – práticas de marketing populares. Será o suficiente para alertar os médicos?


Quais motivos fazem você confiar em seu médico? O tempo que ele tem de experiência? Onde estudou e os cursos que fez? A recomendação de amigos? Todos esses fatores objetivos – e alguns outros subjetivos, como o gênero, acreditem – contribuem para a construção de uma relação de confiança com o profissional que tem em suas mãos nosso bem mais precioso, a saúde. Mas um outro fator, que costuma passar despercebido até pelo mais atento dos pacientes, mostrou-se igualmente importante em um novo e interessante estudo feito nos Estados Unidos. Um levantamento conduzido por pesquisadores da Universidade Harvard e da Califórnia sugere que a proximidade dos médicos com a indústria farmacêutica afeta de maneira negativa a percepção dos pacientes sobre a credibilidade do profissional. Dificilmente pensamos se suas decisões podem ser afetadas por outros interesses que não o melhor desfecho para nosso tratamento. Alguém se questiona se recebeu a prescrição de um medicamento porque é realmente o melhor para o seu caso ou, talvez, porque o médico ficou com o nome na cabeça depois de ir ao congresso financiado pela empresa? A nova pesquisa americana mostra que, quando cientes dessas influências que soam tão longínquas, os pacientes se importam sim. E passam a confiar menos em seu médico.
Prescrição: o marketing da indústria influencia o médico na hora de receitar um medicamento? (Foto: Thinkstock/Getty Images)

Por que isso importa?
Os médicos são um dos principais alvos das estratégias de marketing das empresas que desenvolvem e vendem medicamentos e dispositivos de saúde. A lógica é óbvia: são eles os donos doreceituário. Se o médico prescreve um medicamento, o paciente costuma – na maior parte dos casos – acatar a recomendação. Logo, é importante para as empresas deixar os profissionais de saúde cientes de seu portfólio de produtos. E, para isso, as empresas farmacêuticas, como quaisquer outras, lançam mão de estratégias de divulgação. Fazem parte desse rol de procedimentos as visitas dos representantes – aquele pessoal que vai aos consultórios com malinhas, para informar o médico sobre os últimos lançamentos e, de quebra, distribuir presentinhos que deixam as marcas de medicamentos muito visíveis para médicos e pacientes: canetas, blocos de anotação, materiais educativos, itens de demonstração, amostras grátis…
Há ainda outras instâncias de influência, praticamente invisíveis aos pacientes – e que nos tiram o poder de refletir sobre o impacto do marketing no tratamento. Uma das táticas é levar os médicos para congressos, em que apresentam pesquisas sobre os produtos – um recurso que muitos profissionais usam como atualização científica, mas que guarda o risco de torná-la parcial. Também não é raro que médicos se tornem consultores das empresas, recebendo honorários para falar sobre produtos ou sobre as doenças para as quais os medicamentos se destinam. Muitos deles participam do desenvolvimento das diretrizes para o cuidado de várias condições, elaboradas pelas sociedades médicas de cada especialidade. Acabam influenciando não apenas os rumos do tratamento de seus pacientes, mas dos pacientes de outros milhares de médicos. É uma teia de influência tão invisível quanto extensa. 
Isso não significa que os médicos que recebem representantes, que aceitam convites para congressos ou que se tornam palestrantes das empresas ajam deliberadamente para favorecer os interesses da indústria. Apenas que eles – como qualquer profissional de outro ramo – podem ser suscetíveis ao fator reciprocidade, uma tendência inconsciente de retribuir um favor. Ou, pelo menos, são tão afetados pelas estratégias de marketing como a maioria das pessoas. Um levantamento divulgado no ano passado mostrou que médicos americanos que receberam pagamentos módicos da indústria – por refeições de R$ 60 – prescreveram mais medicamentos de marca. É um sinal de que mesmo os médicos que tentam limitar seu contato com a indústria a alguns parâmetros podem sofrer – consciente ou inconscientemente – influência na hora de prescrever. Como o que está em jogo é a saúde física e econômica – de pessoas, operadoras de saúde e sistemas públicos –, o ideal é que médicos, sociedades médicas, hospitais, enfim, todos os que fazem parte da cadeia blindem-se ao máximo contra essas influências. A nova pesquisa feita nos Estados Unidos pode ajudar nesse convencimento, já que pela primeira vez ficou evidente que os médicos podem perder um bem muito precioso para sua reputação: a confiança de seus pacientes.
A visão dos pacientes
Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores americanos usaram um sistema valioso, mas, infelizmente, disponível apenas nos Estados Unidos. Por lá, as empresas farmacêuticas são obrigadas por lei a informar pública e nominalmente quais médicos receberam verbas de marketing da empresa – e quanto eles receberam. Isso inclui desde honorários para falar sobre um produto até almoços de relacionamento. De posse dessas informações, os pesquisadores pediram para que 278 voluntários averiguassem nessas plataformas públicas quanto os médicos previamente selecionados pelos pesquisadores tinham recebido das empresas (eles tentaram uniformizar outras características dos profissionais, como gênero e idade, para isolar a influência da proximidade com a indústria na avaliação dos voluntários).
O resultado não foi muito surpreendente: os pesquisadores perceberam que os voluntários deram notas piores nos quesitos relacionados à credibilidade (honestidade, fidelidade, competência, confiança) dos profissionais que receberam pagamentos. No balanço geral dessas categorias, a nota dos médicos que não receberam nenhum pagamento foi 3,13. Dos profissionais que receberam entre US$ 200 e US$ 300, a pontuação foi 3,05; e a dos que receberam mais de US$ 13 mil foi 2,88. “No estudo, os médicos que receberam pagamentos mais altos foram percebidos como menos honestos e menos comprometidos com o melhor interesse dos pacientes do que os que não receberam pagamentos”, escreveram os autores do levantamento, divulgado em julho em uma publicação científica da Sociedade de Clínica Médica dos Estados Unidos.
O que fazer?
O assunto é desconfortável para pacientes e médicos: nos faz questionar as influências às quais os profissionais estão sujeitos e, para eles, leva a uma autorreflexão sobre o impacto, ainda que inconsciente, do marketing da indústria sobre suas práticas clínicas. Mas não deveria ser impedimento para que a conversa surja. Por que não questionar os motivos que levaram seu médico a prescrever uma determinada marca de medicamento? Ou se ele aceita convites para congressos? Ou se ele representa alguma empresa? Se o assunto for tabu, há motivo para reavaliar a confiança depositada no profissional.
Fonte - epoca.globo.com

Vox FM a maior audiência no interior do estado


A VOX FM de Ipueiras, empresa de radiodifusão comercial tem alcançado índices de audiência impressionantes. Em todas as pesquisas de opinião pública está entre as 20 emissoras no estado do Ceará, mais ouvidas e acessadas. Em Ipueiras de cada 10 rádios ligados, 9 estão sintonizados na 97,7. Em municípios que têm até três, quatro emissoras a VOX fica em primeiro ou em segundo lugar. No portal v10.fm.br em média 30 mil visitas e audições são realizadas por mês, no aplicativo via celular mais de 12 mil downloads. Se fossem somados os internautas que preferem ouvir a rádio pelo v10 ao invés do site radios.com a Vox FM estaria com mais de 36mil acessos assumindo a liderança na estatística do radios.com. Para quem investe em propaganda, fica claro que anunciar  na VOX FM, o retorno é garantido. 

Rádios FM mais acessadas por estados

Escolha o País:
Selecione o Estado:
Escolha o Mês:
Relatório gerado a cada 1 hora
Relatório gerado em: 26-08-2017 às 09:05:39
PosiçãoRádioCidade / UFVisitas
 Rádio 93 FMFortaleza / CE35623
 Rádio Jangadeiro 88.9 FMFortaleza / CE26730
 Rádio Expresso 104.3 FMFortaleza / CE20609
 Rádio Cidade 99.1 FMFortaleza / CE17272
 Rádio 100 FMFortaleza / CE15389
 Rádio Dom Bosco 96.1 FMFortaleza / CE13403
 Rádio Vale 99.9 FMJuazeiro Do Norte / CE11288
 Rádio Novo Tempo 92.5 FMParambu / CE10204
 Rádio Tribuna BandNews 101.7 FMFortaleza / CE10000
10º Rádio Esperança 106.1 FMBoa Viagem / CE9228
11º Rádio Tempo 101.5 FMJuazeiro Do Norte / CE8598
12º Rádio Logos 102.3 FMFortaleza / CE8400
13º Rádio Jovempan 94.7 FMFortaleza / CE8299
14º Rádio Padre Cícero 104.9 FMJuazeiro Do Norte / CE8128
15º Rádio O Povo CBN 95.5 FMFortaleza / CE7764
16º Rádio Progresso 97.9 FMJuazeiro Do Norte / CE6917
17º Rádio Beach Park 92.9 FMFortaleza / CE6680
18º Rádio Vox 97.7 FMIpueiras / CE6513

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Caos na saúde - Santa Casa de Sobral suspende atendimento de emergência

Foto: Rogério Gomes / TV Cidade
A Santa Casa de Misericórdia de Sobral, na Zona Norte, fechou a emergência do hospital por 48 horas. O problema da unidade é a superlotação, além da histórica defasagem na tabela de procedimentos do SUS.
O comerciante Messias de Souza está com suspeita de fratura no dedo. Teve de voltar da porta do hospital na manhã desta sexta-feira. “Estou voltando pra casa com o dedo quebrado”, protestou o comerciante.
A dona de casa Luzia Gomes fez um raio-X dos braços no último dia 3 de julho, e até agora não conseguiu nem receber o resultado. “Não consegui ainda começar um tratamento”, reclamou.
Há um quadro de superlotação na unidade de saúde, referência no atendimento de emergência na Zona Norte do Ceará. Diariamente, a Santa Casa recebe dezenas de ambulâncias vindas de outros municípios.
Além da superlotação, a Santa Casa de Sobral enfrenta dificuldades financeiras por causa da defasagem na tabela de procedimentos pagos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Diante da situação, o recebimento de novos pacientes foi suspenso por 48 horas no setor de emergência.
O agricultor Ezidio Duarte fraturou o joelho em uma queda de moto, há um mês. Ele estava com a consulta de revisão marcada, mas não sabia se seria atendido. O paciente desconhecia a suspensão de 48 horas no recebimento de novos pacientes. “Espero ser atendido”, disse.
Nem a Santa Casa, nem a Secretaria de Saúde de Sobral disponibilizaram um representante para esclarecer o impacto da suspensão do atendimento no setor de emergência. O Município diz que o assunto é delicado e vai apurar a situação com cautela para buscar soluções.
Cnews

Na contas de matemático, Corinthians já é 'quase' campeão brasileiro

Resultado de imagem para corinthiansA vitória sobre a Chapecoense fez com que, pela primeira vez, torcedores do Corinthians gritassem "é campeão" no estádio, na Arena Condá, mostrando que o título do Campeonato Brasileiro parece cada dia perto do clube. A campanha do time desafia até a matemática e, para algo mudar, seria necessário que algum time fizesse uma campanha parecida com a do São Paulo em 2008. Logo, só uma grande reviravolta tira o título dos corintianos.
Para o matemático Tristão Garcia, 76 pontos são suficientes para um time ser campeão brasileiro. "Seria o equivalente a vencer todos os jogos em casa e empatar como visitante", resumiu, em entrevista ao Estado.
Seguindo o raciocínio de Tristão, se o time alvinegro tivesse neste momento 43 pontos já estaria fazendo campanha de campeão. Isso porque até agora foram 11 jogos em casa (33 pontos) e dez fora da sua arena, somando mais dez pontos. Mas, em vez de 43, a equipe de Fábio Carille já tem 50.
"O Corinthians tem sete pontos acima do necessário. Para se ter uma ideia, o Grêmio faz uma excelente campanha e tem apenas um ponto a menos da meta (deveria somar 41 e tem 40)", comentou o matemático.
Por causa da boa campanha do time gaúcho, Tristão Garcia não descarta até mesmo a possibilidade de, pela primeira vez na história dos pontos corridos com 20 clubes, o Campeonato Brasileiro ter um vice-campeão com mais de 76 pontos. "Seria um vice com campanha de campeão", disse.
Para o Corinthians perder o título, seria preciso cair bastante de rendimento e um dos concorrentes mais próximos, em especial Grêmio e Santos, fazer uma campanha parecida com a do São Paulo quando conquistou o título de 2008.
Comandado por Muricy Ramalho, o time conseguiu 12 vitórias e seis empates nas últimas 18 rodadas e superou o próprio Grêmio naquele ano. "Aquilo foi um ponto fora da curva do futebol. Acho difícil se repetir, mas o Grêmio teria que fazer algo parecido neste ano para tirar o título do Corinthians", comentou Tristão.
Segundo as probabilidades apontadas pelo matemático, apenas quatro times estão na briga pelo título. O Corinthians tem 90% de chances de ficar com a taça, o Grêmio tem 7%, o Santos 2% e o Palmeiras 1%.
CONSERVADOR - Nas contas do técnico Fábio Carille, o Corinthians precisa ainda de mais 28 pontos para chegar aos 78 e não correr riscos. Seriam nove vitórias e um empate, em 18 jogos a serem realizados. "Quando acaba o turno, você sempre olha para o segundo colocado. O Grêmio fez 39 pontos, então você dobra a pontuação dele e chega em 78", explicou o treinador.
Para Tristão, o número é elevado, mas não absurdo. "O Carille está sendo conservador demais. Para dar 99,5% de certeza, um time precisa de 79 pontos, aí não há dúvidas. Mas a ideia dos 76 pontos ainda é a linha com a qual trabalho", afirmou.
Blog - Resumindo, o Corinthians tem 90% de chances de ser campeão brasileiro pela 7ª vez, se conquistar o título será heptacampeão da mais importante competição de futebol do país.


Top 10 maiores campeões do Campeonato Brasileiro

Nesta seleção estão em destaque os 10 maiores campeões do Campeonato Brasileiro. Também Brasileirão – Série A, o Campeonato Brasileiro de Futebol é a principal a liga do Brasil no futebol profissional masculino de clubes brasileiros. Por meio dela que há indicação de representantes do país à Copa Libertadores da América e a Copa Sul-Americana.
O Campeonato Brasileiro se resume torneio futebolístico mais assistido pelo continente americano e um dos de maior exposição de forma internacional, com transmissão nos 155 países.
10°

Grêmio – 2 Títulos, 3 vices

gremio entre os maiores campeões do campeonato brasileiro
O Grêmio, Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense se caracteriza clube oriundo da cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, com fundação na data 15 de setembro do ano 1903. As cores características são azul, preto e branco, e se vangloria de 2 títulos do Campeonato Brasileiro, o primeiro em 1981 e o segundo título em 1996.

Internacional – 3 Títulos, 6 vices

internacional entre os maiores campeões do Campeonato Brasileiro
O Internacional, SC Internacional, Inter ou Inter de Porto Alegre é o Sport Club Internacional que venceu 3 títulos no Campeonato Brasileiro nos anos 1975, 1976 e 1979. O clube esportivo do Brasil é oriundo de Porto Alegre, Rio Grande do Sul e se resume o maior clube de futebol do sul do Brasil, com seus torcedores populares como Colorados.

Fluminense – 4 Títulos

fluminense entre os maiores campeões do Campeonato Brasileiro
O Fluminense, Fluminense Football Club se caracteriza agremiação poliesportiva e cultural com sede na cidade do Rio de Janeiro, e fundação na data 21 de julho de 1902. Trata-se de sociedade civil com caráter desportivo que possui de atividade em destaque o futebol. Seus títulos vencidos no Campeonato Brasileiro foram em 1970, 1984, 2010 e no ano 2012, sendo o Fluminense oitava posição nesta seleção, dos 10 maiores campeões do Campeonato Brasileiro.

Vasco da Gama – 4 Títulos, 4 vices

vasco entre os times com mais títulos no brasileirão
Vasco da Gama, ou Club de Regatas Vasco da Gama se resume entidade sociopoliesportiva do Brasil sediada na cidade Rio de Janeiro. E teve fundação em data 21 de agosto de 1898 pelo grupo de remadores. Mesmo tendo apresentado fundação como “Clube de Regatas”, o Vasco da Gama também faz abrangência de mais modalidades, sendo exemplo vôlei de praia, atletismo, futebol de areia, basquete, outros, mas o esporte de maior tradição sendo o futebol. Vasco da Gama além dos 4 títulos no Campeonato Brasileiro, o mesmo foi vice por 4 vezes, e foi campeão nos anos 1974, 1989, 1997 e 2000.

Cruzeiro – 4 Títulos, 5 vices

cruzeiro entre os times com mais titulos no campeonato brasileiro
O Cruzeiro Esporte Clube se resume associação polidesportiva do Brasil, sediada em Belo Horizonte, Minas Gerais. A fundação ocorreu no ano 1921 com denominação de Sociedade Esportiva Palestra Itália, rebatizado à denominação dos dias de hoje no ano 1942. Trata-se de um dos clubes de maior popularidade do país, vencendo os 4 títulos do Campeonato Brasileiro em 1966, 2003, 2013 e 2014, sendo 5 vezes vice.

Flamengo – 5 Títulos, 1 vice

flamengo entre os maiores campeões do Campeonato Brasileiro
Clube de Regatas do Flamengo, mais popular apenas como Flamengo é determinado como agremiação poliesportiva do Brasil, sediada no Rio de Janeiro. A fundação ocorreu no bairro de idêntico nome às disputas do remo, na data 17 de novembro do ano 1895, se transformou em um dos clubes de maior sucesso e maior torcida em âmbito nacional e mundial, em especial por futebol. Ele venceu os 5 títulos do Campeonato Brasileiro em 1980, 1982, 1983, 1992 e 2009.


Corinthians – 6 Títulos, 3 vices

corinthians entre os maiores campeões do Campeonato Brasileiro
O Corinthians, apelidado de “Timão”, o Sport Club Corinthians Paulista é clube multiesportivo do Brasil com sede em São Paulo. E teve fundação como equipe futebolística na data 1 de setembro de 1910 pelo grupo de operários oriundos de Bom Retiro, bairro.
O próprio nome foi inspirado em Corinthian FC de Londres, que fazia excursão no Brasil, sendo denominado por imprensa do Brasil da época como Corinthian’s team. Os 6 títulos foram vencidos por este time no Campeonato Brasileiro em 1990, 1998, 1999, 2005, 2011 e 2015, tendo sido vice por 3 vezes.

São Paulo – 6 Títulos, 6 vices

sao paulo fc maiores campeões do Campeonato Brasileiro
São Paulo Futebol Clube se resume associação esportiva do Brasil com fundação no ano 1930, com interrupção das próprias atividades no mês maio de 1935, e retomada ocorrendo em dezembro de 1935. São Paulo tem 6 títulos no Campeonato Brasileiro, nos anos 1977, 1986, 1991, 2006, 2007 e 2008, tendo sido vice por 6 vezes.

Santos – 8 Títulos, 7 vices

santos entre os maiores campeões do Campeonato Brasileiro
Santos Futebol Clube, conhecido de forma popular como Santos, é determinado clube poliesportivo do Brasil com sede em Santos. A fundação aconteceu na data 14 de abril de 1912, se transformou pelo futebol em um dos clubes de maior sucesso do país e com reconhecimento mundial. O Santos venceu 8 títulos do Campeonato Brasileiro nos anos 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1968, 2002 e 2004, sendo segunda posição nesta seleção, dos 10 maiores campeões do Campeonato Brasileiro.
O Santos foi o maior beneficiado com 6 títulos, após reconhecimento da CBD das Taças de Prata (Torneio Roberto Gomes Pedrosa) e Taça Brasil como campeões brasileiros.

Palmeiras – 9 Títulos, 3 vices

palmeiras entre os maiores campeões do Campeonato Brasileiro
O Palmeiras, Sociedade Esportiva Palmeiras se caracteriza clube poliesportivo do Brasil com sede em São Paulo, e possui como modalidade esportiva de destaque o futebol, através do time que é um dos mais vitoriosos, e que se coloca entre equipes de maior torcida do Brasil.
O Palmeiras possui 9 títulos no Campeonato Brasileiro pelos anos 1960, por duas vezes no ano 1967 (Taça Brasil e Taça de Prata), e no ano 1969, 1972, 1973, 1993, 1994, e no ano 2016, sendo posição líder nesta seleção, dos 10 maiores campeões do Campeonato Brasileiro.
Sua representatividade é tão grande que em 2005, em 11 de outubro, foi sancionada em São Paulo, Lei nº 14.060, com definição de 20 de setembro como “Dia da Sociedade Esportiva Palmeiras”, que então tornou a ser recordado de modo anual pela capital paulista, desde que passou a ser integrante do Calendário Oficial do Município.