segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Bisbilhotando na internet sobre vários artigos relacionados a corrupção, encontrei essa pérola

Resultado de imagem para corrupção no brasil

A cultura da corrupção na sociedade brasileira

Se a corrupção é endêmica em nosso país, a causa não está no caráter, mas no afrouxamento de todas as instituições na observância da lei, moralidade e ética


A corrupção está tão disseminada em nosso cotidiano que virou uma instituição cultural. É como a propina para se fazer “vistas grossas” e “facilitar o andamento do caso”. Nossa sociedade aprendeu a conviver com essa anomalia, não sem a tensão e a revolta dos mais esclarecidos, que sabem perfeitamente que todo atraso, carestia e desordem econômica a tem como causa primária. Dizer que a corrupção é uma cultura entre nós pode chocar algumas pessoas, cuja primeira opinião é a de se tratar de desvio de caráter. Naturalmente, o caráter é uma variável nessa questão, pois a cobiça do ganho fácil é algo humano e aqueles que têm uma educação mais frouxa não hesitarão em prevaricar se as condições lhes forem favoráveis.

A índole da cada um pode ser regrada por educação e leis, pois para isso existe a sociedade, e do seu bom desempenho depende a observação de certas regras de conduta individual, social e de trabalho. A transgressão existirá sempre, mas numa sociedade bem regulada isso se reduz a uma baixa prevalência. O eficiente uso da fiscalização e da supervisão, junto a uma legislação adequada, corrige a maior parte deste problema. No Brasil, há uma dissonância cognitiva que leva à confusão entre autoridade e autoritarismo, um vício nacional herdado do escravagismo e do coronelismo de aldeia, com práticas que redundam um comportamento antissocial e, por vezes, criminoso, de detentores de poderes econômicos e de posses.

Ora, se a corrupção é endêmica em nosso país, a causa não está no caráter, mas no afrouxamento de todas as instituições na observância da lei, moralidade e ética. Em outras palavras, em uma cultura institucionalizada do “molhar a mão do guarda” somos levados ao que denominamos de cegueira ética, uma doença crônica social que altera a percepção e o julgamento da maioria das pessoas. A pressão disso é nefasta e torna a corrupção algo natural, aceitável. De todos esses fatores resulta uma dissonância cognitiva que distorce a consciência para noções como moralidade e ética. A autoridade se relativiza, afrouxando o rigor com que regras e leis devem ser seguidas, e a cegueira ética se instala. Essa atonia moral leva ao fenômeno da vitimização, para o qual nossa sociedade é especialmente vulnerável.
Em contrapartida, as personalidades antissociais são resistentes a sentir remorso. Além disso, não admitem culpa e têm todos os seus problemas com a Justiça ou seu grupo projetados nos outros. Eis que muitos são culpados pelos seus crimes – como, por exemplo, a “sociedade injusta” que o criou, seus pais que o reprimiram e as maquinações políticas contra ele. Na política brasileira, isso é bem conhecido. Em vez de um mea culpaliberador, vemos nossos políticos não admitirem seus erros, culpando adversários políticos e se autoimolando como membros de uma minoria perseguida – aliás, não raro violenta. A corrupção na política é uma cultura arraigada no espírito nacional e um grande incentivo à desvirtuação em todos os níveis. A corrupção generalizada torna todos cúmplices e, assim, o crime se instala sem que o remorso e a culpa criem obstáculos. Carl Gustav Jung, fundador da psicologia analítica, já observava que, quando um crime é cometido em nome de um grupo que o incentiva ou de uma ideologia ou fé que o absolve, o indivíduo não se sentirá culpado.
A corrupção extrapola, em muito, a prevalência de personalidades antissociais. Isso porque muitas pessoas com este tipo de comportamento entre nós, especialmente criminosas, não são antissociais do ponto de vista psiquiátrico, mas sim por pressão cultural do meio em que vivem. Em psiquiatria, denominamos de fenocópias de personalidades antissociais quando as pessoas adquirem essa forma de comportamento por serem pressionadas culturalmente, e não por constituição. Esta situação vem crescendo assustadoramente entre os jovens, que serão nossos futuros comerciantes, funcionários, dirigentes, políticos e, sobretudo, eleitores. Não basta a educação se também não se forma, em nossas escolas, consciências éticas e verdadeiramente republicanas. Algo precisa ser feito.
Antônio Geraldo da Silva, psiquiatra, é presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). Fernando Portela Câmara, psiquiatra, é membro da ABP.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Obscenidade para o Lúdico - Anitta prepara DVD voltado para o público infantil

Anitta se prepara para lançar, ainda neste ano, um DVD voltado para o público infantil de zero a quatro anos de idade, de acordo com informações do programa "Fofocalizando", do SBT, desta quinta-feira (18).
Ainda de acordo com a notícia, o projeto já está em andamento, com músicas escritas e até gravadas. Com o DVD, Anitta insere no mercado uma série de personagens de um desenho animado. Trata-se de "Anittinha e sua turma".
Além de Anitta, Kelly Key, Xuxa, Aline Barros e Ivete Sangalo já lançaram trabalhos voltados para as crianças.

Deputado Bruno Pedrosa reforça luta por universidade na Ibiapaba

Resultado de imagem para deputado bruno pedrosaPrimeira etapa para implantação de universidade na Ibiapaba vai ser finalizada até fevereiro. O estudo de viabilidade feito pelo Cetrede já está praticamente concluído. Demanda pela qual o deputado Bruno Pedrosa vem lutando há bastante tempo, uma universidade na região vai beneficiar cerca de 350 mil habitantes, entre eles, milhares de jovens,que não vão mais precisar se locomover a outros centros, como Sobral.
A segunda etapa do processo de implantação da universidade cabe ao Governo do Estado que é a construção dos prédios e compra de equipamentos. Na sequência, entra o Governo Federal na realização de concurso para a contratação de professores e servidores.
“Essa é mais uma luta nossa para a região que representamos com muita honra e muito orgulho.
Como presidente da Comissão de Juventude da Assembleia, é minha obrigação buscar garantir o melhor para os jovens de nosso estado. E nada como uma universidade mais perto de casa, pra garantir oportunidades de sucesso profissional e de uma vida melhor concluiu Bruno Pedrosa.
Blog do Roberto Moreira

Gastos em viagens dos presidentes da Câmara, Senado e STF nos jatinhos da FAB em 2017

Resultado de imagem para jatinho da fab

Gastos com viagens

Viagens dos presidentes da Câmara, Senado e STF em um ano

ÓrgãohorasvoosCusto(em R$)
Câmara3342151,85 milhão
Senado14861821 mil
STF7948436 mil
Total5613243,11 milhões

Custo das viagens por autoridade

NomehorasvoosCusto(em R$)
Deputado Rodrigo Maia3162051,75 milhão
Senador Eunício Oliveira9844543 mil
Senador Renan Calheiros4815270 mil
Ministra Carmem Lúcia7948436 mil
Deputado Fábio Ramalho2012102 mil
Fonte: Levantamento da Gazeta do Povo a partir da base de dados da FAB. Infografia: Gazeta do Povo.

Pabllo Vittar e a roupa invisível do rei nu


Sua música é péssima, lidem com isso. Porém, criticá-lo nestes aspectos meramente musicais faz do crítico um criminoso, preconceituoso, invejoso e homofóbico

 | Facebook

Eis que chegamos ao tempo em que se faz necessário provar às pessoas que a grama é verde e a água é molhada.

Antes de embarcar na insólita investida de argumentar sobre os porquês de a música de Pabllo Vittar ser tão ruim – fato que deveria ser captado menos pelo intelecto do que pela própria experiência sensorial não racional –, serei obrigado a esclarecer dois pontos.
Primeiro, e mais importante: aqui nessas paragens, a discussão é adulta e civilizada. Qualquer acusação de “homofobia” ou correlatos será rechaçada com vigor, porque injusta com quem, como eu, cresceu ouvindo Freddie Mercury, Ney Matogrosso, Tchaikovsky, Bernstein, enfim, a lista é longa, e nunca o fato de serem homossexuais nem sequer ofuscou minha admiração e respeito a eles. O segundo aspecto é que, apesar de estudar música há mais de 30 anos, de ser regente profissional há 17, professor há 25 e de ter ajudado a fundar uma das maiores orquestras jovens do Brasil, a qual dirijo há 12 anos, falarei menos sobre música e seus aspectos técnicos do que sobre ideologia porque, afinal, é disso que o fenômeno se trata.
O que vemos em Pabllo é o grotesco alçado à condição de algo sacrossanto e imune às críticas, por justificativas ideológicas
Pabllo Vittar é a roupa invisível do rei. Sua música é péssima, lidem com isso. Falta-lhe afinação, técnica, noções básicas de harmonia e ritmo, etc. Coisas que são exigidas de qualquer estudante rudimentar de música. Porém, criticá-lo nestes aspectos meramente musicais, na loucura do neocoletivismo identitário em voga atualmente, faz do crítico um criminoso, preconceituoso, invejoso e homofóbico. Por outro lado, as portas se abrem a quem exalta as finas vestes do rei nu, como ocorreu com Ed Motta recentemente.
Vítimas da “espiral do silêncio”, as pessoas deixam de falar aquilo que pensam, com medo da calúnia e do isolamento. Enquanto isso, o objeto da crítica e, mais do que isso, a ideologia da qual esse objeto é símbolo, avança livre.
O escracho e a obscenidade estão presentes nas artes desde as comédias gregas, passando pelas cantigas de escárnio e maldizer barrocas, a ópera-bufa, até o punk rock oitentista dos Garotos Podres. A diferença é que nem os poetas de escárnio nem os Garotos Podres buscavam moldar o mundo de acordo com o próprio espelho. Todos sabiam que eram escrachados, obscenos ou toscos e, ainda assim, tinham uma preocupação com o produto final ser minimamente bem feito.
O que vemos em Pabllo é o grotesco alçado à condição de algo sacrossanto e imune às críticas, por justificativas ideológicas, extra-artísticas. Pabllo é também uma vítima, uma voz com prazo de validade, marionete de um esquema muito mais poderoso do que ele sequer imagina. Podemos verificar o mesmo fenômeno nos esportes, com Rodrigo “Tiffany” de Abreu e Fallon Fox. O problema não é Pabllo, em si, mas a máquina que o maneja. Para o establishment, não se trata de música, mas de um símbolo a ser defendido politicamente.
Em relação a Vittar, há duas questões: uma estética e outra ideológica. Forjar, na cultura de massas, uma figura desprovida de qualquer noção musical é tornar natural o feio, o grotesco, o mal-acabado. É um problema estético. Da questão estética (acostumar o público com o grotesco) advém a questão ideológica: censurar as divergências para fortalecer uma narrativa política.
Por isso Vittar – e Anitta, o funk carioca, o rap proibidão etc. – são tão nefastos.
Tom Martins é regente titular da OFSSP, compositor, instrumentista e bacharel em Composição e Regência pelo Instituto de Artes da Unesp.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

A era da contraditória esquizofrenia social

ESQUIZOFRENIA SOCIAL
Por Almir Favarin, Teólogo e Psicanalista
Vivemos numa época onde querem que os padres se casem e que os casados se divorciem.
Querem que os héteros tenham relacionamentos líquidos sem compromisso, mas que os gays se casem na Igreja.
Que as mulheres tenham corpos masculinizados e se vistam como homens e assumam papéis masculinos. Querem  que os homens se tornem “frágeis” e delicados e com trejeitos, como se fossem mulheres. Uma criança com apenas cinco ou  seis anos de vida já tem o direito de decidir se será homem ou mulher pelo resto da vida, mas um menor de dezoito anos, não pode responder pelos seus crimes.
Não há vagas para os doentes nos hospitais, mas há o incentivo e o patrocínio do SUS para quem quer fazer mudança de sexo.
Há acompanhamento psicológico gratuito para quem deseja deixar a heterossexualidade e viver a homossexualidade, mas não existe nenhum apoio deste mesmo SUS para quem deseja sair da homossexualidade e viver a sua heterossexualidade e se o tentarem fazer, é crime.
Ser à favor da família e religião é ditadura, mas urinar em cima dos crucifixos é liberdade de expressão.
Se isso não for o Fim dos Tempos, deve ser o ensaio…
bomba.jpg

sábado, 13 de janeiro de 2018

Ford pede que 2.900 motoristas parem de dirigir Ranger

Resultado de imagem para RANGER DA FORD
Washington – A Ford Motor  confirmou uma segunda morte em uma caminhonete antiga causada por um inflador de airbag defeituoso produzido pela japonesa Takata e pediu a 2.900 donos dos veículos na América do Norte para pararem de dirigir imediatamente até conseguirem peças de reposição.
A segunda maior montadora dos Estados Unidos disse que confirmou no final de dezembro que uma morte ocorrida em uma Ford Ranger 2006 em julho de 2017 no Estado norte-americano da Virgínia foi causada por um inflador de airbag defeituoso produzido pela Takata. A empresa relatou anteriormente uma morte semelhante na Carolina do Sul, ocorrida em dezembro de 2015.
A Ford disse que ambas as mortes ocorreram com infladores instalados no mesmo dia em picapes Ranger 2006. Pelo menos 21 mortes em todo o mundo estão ligadas aos infladores da Takata .
O dispositivo defeituoso pode lançar estilhaços metálicos dentro do veículos ao acionar o airbag. As peças defeituosas geraram o maior recall automotivo na história. As outras 19 mortes ocorreram em veículos da Honda Motor, a maioria nos EUA.
A Ford lançou um novo recall para automóveis que já haviam sido chamados de volta às fábricas em 2016.
Das 391 mil unidades da Ranger produzidas entre 2004 e 2006, o novo recall anunciado nesta quinta-feira afeta 2.900 veículos.
Estes incluem 2.700 nos Estados Unidos e quase 200 no Canadá. O novo recall permitirá a identificação dos 2.900 proprietários no grupo de maior risco.
A National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA) orientou os proprietários a prestarem atenção ao aviso da Ford. “É extremamente importante que todos os airbags de alto risco sejam rastreados e substituídos imediatamente”, disse a porta-voz da NHTSA, Karen Aldana.
A Ford pagará para rebocar os veículos até as concessionárias ou enviará equipes de reparo às casas dos proprietários e fornecerá consertos gratuitos.
A Takata disse em junho que faria o recall ou tinha expectativa de convocar cerca de 125 milhões de veículos em todo o mundo até 2019, incluindo mais de 60 milhões nos Estados Unidos. Cerca de 19 montadoras em todo o mundo foram afetadas pela falha.
O defeito levou a Takata a entrar em recuperação judicial em junho de 2017. No ano passado, a empresa foi condenada a pagar 1 bilhão de dólares em penalidades criminais relacionadas aos recalls.

Acidente na BR-251 mata sete e deixa 39 gravemente feridos no norte de MG

Acidente em rodovia de Minas Gerais
Belo Horizonte – Sete pessoas morreram e 39 ficaram feridas em acidente neste sábado, 13, entre duas carretas, um micro-ônibus, e uma van na BR-251 em Grão Mogol, Região Norte de Minas, a 570 quilômetros de Belo Horizonte. As informações são do Corpo de Bombeiros.
Dos 39 feridos, onze estão em estado grave e, um, em estado gravíssimo, segundo a corporação. As vítimas foram levadas para a Santa Casa de Montes Claros e outros hospitais da região.
Uma das carretas, que transportava papel, pegou fogo. A outra levava um caminhão. Conforme informações da Polícia Rodoviária Federal, a estrada foi interditada nos dois sentidos e não há previsão para liberação do trânsito.
As causas do acidente estão sendo investigadas. “A BR-251 tem muitas curvas e trechos que apresentam elevado índice de acidentes”, afirmou o tenente-coronel Gouveia, comandante do Corpo de Bombeiros de Montes Claros.
Em 19 de junho do ano passado, 11 pessoas morreram em desastre na mesma estrada, em Salinas, também na Região Norte de Minas, envolvendo um ônibus que saiu de São Paulo e seguia para a Bahia.

ESTADÃO

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Projeto reduz custos para licenciamento de veículos



A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 8152/17, que altera o Código de Trânsito Brasileiro (CTB- Lei 9503/97 ) para estabelecer que o veículo poderá ser licenciado apenas com a quitação de débitos relativos à taxa de licenciamento.
Atualmente, a legislação exige que sejam quitados todos os tributos, encargos e multas, de trânsito e ambientais, vinculados ao veículo, independentemente da responsabilidade pelas infrações cometidas.
O autor, deputado Fábio Sousa (PSDB-GO), argumenta que a redação do CTB permite as chamadas “Blitz do IPVA”, “que em verdade representam verdadeiro confisco do veículo dos contribuintes como forma de forçar o pagamento de imposto”.
Ele observa que o Superior Tribunal de Justiça (STJ), por meio da Súmula 127, já decidiu ser ilegal condicionar a renovação da licença de veículo ao pagamento de multa, da qual o infrator não foi notificado.
O projeto insere novo artigo no CTB para determinar que o licenciamento do veículo deve se processar com o pagamento da taxa de licenciamento e não pode ser condicionado ao pagamento de outra obrigação tributária, como do imposto sobre veículos automotores (IPVA) ou ao pagamento de multas.
A proposta será analisada de forma conclusiva pelas comissões de Viação e Transportes; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania
Agência Câmara

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Segunda chacina do ano registrada em Hidrolândia. Triplo assassinato nesta madrugada



A Polícia registrou na madrugada desta quinta-feira (11)  a segunda chacina do ano no Ceará. Um triplo assassinato ocorreu na cidade de Hidrolândia (a 247Km de Fortaleza) quando três jovens foram executados sumariamente a tiros por desconhecidos. O motivo do crime e seus autores são ainda desconhecidos.
Era por volta de zero hora quando ocorreu o triplo assassinato no Campo de Aviação, na periferia da cidade. Testemunhas relataram à Polícia que os assassinos chegaram ao local onde ocorria um evento. Desembarcaram de um veículo já com as armas em punho e ordenaram que as pessoas presentes deitassem no chão e que o interesse deles era “apenas” os três jovens que acabaram mortos. Os três rapazes foram executados com tiros de pistola à queima-roupa.
Segundo as primeiras informações colhidas pelas autoridades no local da chacina, um dos mortos se chamava Fred e era morador do Distrito de Betânia, naquele Município. Os outros dois seriam naturais de Itapipoca.
Os corpos das três vítimas foram recolhidos após uma perícia no local do crime e encaminhados para o núcleo da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) da cidade de Canindé.
Segundo caso
O triplo assassinato em Hidrolândia nesta quinta-feira (11) é o segundo caso de chacina no Ceará em apenas 11 dias de 20118. O primeiro caso ocorreu na noite do último domingo (7), na localidade Serra Pelada, na zona rural do Município de Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), quando quatro homens foram fuzilados dentro de uma casa.
A Polícia atribuiu o crime a uma briga entre facções criminosas daquela localidade e identificou somente três das quatro vítimas como Joaquim Monteiro da Silva Neto, 19 anos; João Lucas de S ousa Morais, 18 anos; e o adolescente Antônio Heberson Brito Jacinto, 17 anos. A quarta vítima não portava documentos e foi identificada apenas por Juan.
Colaborou Thiago Rodrigues (Da Rádio FM Plus de Santa Quitéria)

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

MPCE ajuíza ação contra vereadores de Crateús por irregularidades em licitações

novalogompceO Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio da Promotoria de Justiça do Juizado Especial Cível e Criminal de Crateús, ajuizou ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra os vereadores Antônio Márcio Cavalcante Soares e Manoel Conegundes Soares, atual presidente da Câmara Municipal de Crateús, por fraudes de licitações entre os anos de 2008 e 2011 em certames que tiveram por objetivo contratar empresa para prestação de serviços especializados na área de Publicidade e Propaganda, junto à Casa Legislativa do Município. Além deles, são réus na ação José de Melo Neto, Edigar Rodrigues de Sousa, Francisco Arnaldo Silva Loiola, Marcelo Vieira Chaves e as empresas M. Vieira Chaves – ME, Marcelo Vieira Chaves – ME e Rádio Vale do Rio Poty LTDA. Ao todo, teriam sido desviados R$ 482.940,00.
Na petição inicial, o promotor de Justiça Lázaro Trindade de Santana apresenta diversos fatos constatados em Inquérito Civil Público instaurado para investigar denúncia de desvio de dinheiro público nas contratações de serviços de divulgação e publicidade dos atos da Câmara Municipal de Crateús envolvendo os ex-presidentes da Casa Antônio Márcio Cavalcante Soares e Manoel Conegundes Soares e o radialista Marcelo Vieira Chaves, sócio-proprietário das empresas M. V. Chaves e Marcelo Vieira Chaves-ME, que não têm nenhuma concessão de Rádio Difusão para prestar serviço radiofônico e de radiojornalismo nem Certificado de Qualificação Técnica das Agências de Publicidade, o que as impede de participar de licitações para prestar o serviço para o qual concorreram.
De acordo com as investigações, a partir de 2008, a empresa M. V. Chaves – ME passou a participar das licitações promovidas pela Câmara Municipal de Crateús, na época sob a presidência do ex-vereador Antônio Márcio Cavalcante Soares, para prestação de serviços especializados na área de Publicidade e Propaganda, com valor de R$ 11.920,00 mensais. No processo licitatório de 2008, a proposta apresentada é da empresa M. V. Chaves, vencedora do certame, mas a empresa contratada foi Marcelo Vieira Chaves-ME, que, apesar de terem o mesmo sócio-proprietário, têm CNPJ diferentes. Em 2009 a empresa foi novamente contrata através de uma modalidade indevida de licitação e, em 2010, o então presidente da Câmara Municipal de Crateús, Antônio Márcio Cavalcante Soares, “sob seu alvedrio prorrogou, sem justificativa, ou qualquer excepcionalidade que a justificasse, o contrato com a empresa M. V. Chaves – ME”. No exercício 2011, o então presidente da Câmara Municipal de Crateús, Manoel Conegundes Soares, também era gerente da Rádio Vale do Rio Poty, paga pela M. V. Chaves – ME que, naquele ano, foi mais uma vez, vencedora de licitação autorizada pelo presidente da Casa Legislativa.
Além das irregularidades nas licitações, nunca houve prestação de contas que comprovasse que os serviços foram fornecidos à administração pública municipal e o presidente da Câmara em 2011, Manoel Conegundes Soares, ocupava, simultaneamente, o cargo de gerente geral da empresa Rádio Vale do Rio Poty, da qual recebia remuneração de R$ 3.815,10, violando a Lei Orgânica do Município. Também são réus na ação José de Melo Neto (presidente da Comissão de Licitações no exercício de 2008), Edigar Rodrigues de Sousa (presidente da Comissão de Licitações no exercício de 2009) e o pregoeiro no exercício 2011, Francisco Arnaldo Silva Loiola.
O membro do MPCE requer que sejam aplicadas as sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa: ressarcimento integral do dano; perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, se concorrer esta circunstância; perda da função pública; suspensão dos direitos políticos pelo período de cinco a oito anos; pagamento de multa de natureza civil de até duas vezes o valor do dano; e proibição de contratar com o Poder Público, receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos.

Assessoria de Imprensa

Ministério Público do Estado do Ceará

Email:imprensa@mpce.mp.br

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Conheça a PEC que versa sobre o imposto do vento

PREPARE-SE PARA MAIS UM IMPOSTO : DEPUTADOS SE MOBILIZAM PARA CRIAÇÃO DO IMPOSTO SOBRE O VENTO



SE ESSE IMPOSTO RIDÍCULO FOR APROVADO QUE EU NÃO NÃO TENHO A MENOR DÚVIDA E CONSEQUENTEMENTE SANCIONADO PELO EXECUTIVO, SEREMOS O PRIMEIRO PAÍS A COBRAR IMPOSTO SOBRE O VENTO. NÃO SERÁ NENHUMA NOVIDADE, AQUI A TENDÊNCIA É ESCRAVIZAR AINDA MAIS O CONTRIBUINTE QUE PAGA IMPOSTO PARA EMPRESAS, POLÍTICOS, RICOS, MILIONÁRIOS E BILIONÁRIOS. MAIS UM NÃO FAZ DIFERENÇA, SÓ NÃO PAGAMOS PELOS SERVIÇOS A QUE TEMOS DIREITO DE ACOEDO COM OS PRECEITOS CONSTITUCIONAIS. E DAÍ...QUEM MANDA ? MANDA QUEM PODE, OBEDECE QUEM NÃO TEM JUÍZO !!!!!

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Secretaria de Recursos Hídricos diz que 21 cidades do Ceará só tem água garantida até o final do mês

Resultado de imagem para cidades sem água
A Secretaria de Recursos Hídricos informou, nesta sexta-feira (5), através do  Grupo de Contingência, que o Ceará tem 21 municípios com alto risco de sofrer colapso de água caso não chova. Segunde  a pasta, os reservatórios nessas localidades têm água para abastecer a população só até o fim deste mês. Outras 18 cidades contam com reservas até o fim de fevereiro.
As informações foram divulgadas na primeira reunião do ano que fez um balanço da situação hídrica do Estado. O relatório aponta que outros 31 municípios encontram-se em situação de “alerta”, pois têm reservas de água até o período entre março e abril, quando é esperado o início a quadra chuvosa.
Com relação a outras 105 cidades, e as nove abastecidas pelo sistema da Região Metropolitana de Fortaleza, não correm risco de desabastecimento. Conforme a pasta, a situação poderia estar pior caso o Governo do Estado não tivesse “arregaçado as mangas” em ações emergenciais, como instalação de poços e chafarizes e a busca por fontes alternativas de abastecimento.
Com informações do G1

Papa corre perigo após fazer reformas na Cúria Romana e é odiado por inimigos dentro da própria Igreja Católica


jmj-francisco-cumprimenta-os-jovens-emcracovia

O cancro da Igreja


1. "O Papa Francisco é hoje um dos homens mais odiados no mundo." Esta afirmação recente pertence a Andrew Brown, no The Guardian, que acrescenta: "E quem mais o odeia não são ateus, protestantes ou muçulmanos, mas alguns dos seus próprios seguidores."
Pessoalmente, não sei se trata mesmo de ódio, mas tenho a convicção firme de que Francisco tem na Igreja muitos opositores e inimigos, furiosos por causa das reformas que está a operar e por verem os seus interesses, incluindo o clericalismo e o carreirismo, ameaçados. Sobretudo na Cúria Romana, que, como já aqui escrevi, quando se olha de modo atento para a história, foi fazendo mais ateus do que Marx, Nietzsche e Freud juntos.
Mas, por outro lado, Francisco é hoje um dos líderes mundiais mais estimados, amados e influentes do mundo. A simplicidade e a humildade, a simpatia e o afeto, reais e genuínos, que manifesta pelas pessoas, a começar pelos mais débeis, fragilizados, abandonados, o seu amor pelas periferias geográficas e existenciais, tornaram-no uma figura popular em toda a parte.
2. O que leva os seus críticos, conservadores radicais, a detestá-lo de tal modo que chegam a pretender declará-lo herético, esperando que, pelo menos, venha rápida a sua morte ou a sua resignação por incapacidade de levar avante a sua missão? Tão simples como isto: apareceu no Vaticano um Papa cristão, que procura seguir o Evangelho de Jesus por palavras e obras.
Assim, pensando nas objecções dos que o guerreiam, pode-se esclarecer a situação fazendo algumas perguntas. Dou exemplos. Já se pensou suficientemente que foi o poder religioso da altura que condenou Jesus à morte? E porquê? Porque Jesus pôs concretamente os sacerdotes do Templo perante a pouca-vergonha de se servirem de Deus para explorar o povo. Então, não tem Francisco razão quando, na linha de Jesus, faz apelo ao poder como serviço? Não tem razão quando exige tolerância zero para a pedofilia e a transparência toda para o banco do Vaticano? Não tem razão quando pugna por uma Igreja não auto-referencial, mas em saída, "hospital de campanha"? Uma Igreja descentrada, sinodal, onde todos participam nas várias instâncias, porque "a Igreja somos nós todos" e o que é de todos deve ser decidido por todos? E ainda poderá a Igreja continuar na sua misoginia? Não tem razão Francisco quando se põe a questão de ordenar homens casados, também porque as comunidades cristãs têm direito à celebração da Eucaristia? Não tem razão quando denuncia o vaticano-centrismo, a pompa da Cúria, de cardeais e bispos, a hipocrisia, o "Alzheimer espiritual", o narcisismo, e diz que "a corte é a lepra do papado"? Não tem razão nas suas visitas pastorais pelo mundo, visitando (só Deus sabe o seu sacrifício pessoal) os que mais sofrem e anunciando e combatendo pela paz? Não tem razão quando coloca como centrais o diálogo ecuménico com as diferentes Igrejas cristãs e o diálogo inter-religioso, nomeadamente com o islão moderado e com o budismo, o diálogo com as neurociências e as novas tecnologias? Quando denuncia o "deus Dinheiro"? Não tem razão quando afirma que "o confessionário não pode ser uma câmara de tortura, mas um encontro com a misericórdia do Senhor" e que algumas pessoas num segundo casamento ou união civil "podem estar a viver na graça de Deus, podem amar e também crescer na vida da graça e da caridade, recebendo a ajuda da Igreja com esta finalidade" e que, após aconselhamento, reflexão, atenção à consciência, "em certos casos, isto pode incluir a ajuda dos sacramentos", sublinhando que a Eucaristia "não é um prémio para os perfeitos, mas um remédio poderoso e alimento para os fracos"? Não tem razão quando pressupõe que a moral católica não pode ter o seu centro no pecado do sexo? Em suma, quando afirma que é necessário retomar o Concílio Vaticano II, levando-o avante?
3. Muitos desiludiram-se com Francisco. Mas deste modo, como disse recentemente o jesuíta Michael Bordt à Der Spiegel: "Sim, ele está a desiludir muitos, tanto as pessoas que gostariam que pactuasse com a Cúria como os conservadores. O Papa é realmente alguém que sabe desiludir. Faz o que julga correto, independentemente de os outros considerarem isso fantástico ou não. É-lhe indiferente o que os outros pensam dele." O seu caminho é o de Jesus.
Que assim é mostrou-o, mais uma vez, no discurso de boas-festas natalícias à Cúria. Consciente da dificuldade em reformá-la, afirmou que lhe vem à mente "a simpática e significativa expressão de monsenhor Frédéric-François-Xavier De Mérode: "Fazer a reforma em Roma é como limpar a Esfinge do Egito com uma escova de dentes."" Reconhecendo "a universalidade do serviço da Cúria que provém e brota da catolicidade do ministério petrino", que designa como "primado diaconal", previne: "Uma Cúria encerrada em si mesma atraiçoaria o objectivo da sua existência e cairia na auto-referencialidade, que a condenaria à autodestruição." Neste contexto, exigiu a necessidade de "superar a desequilibrada e degenerada lógica das intrigas e dos pequenos grupos que na realidade representam, apesar das suas justificações e boas intenções, um cancro que leva à auto-referencialidade, que se infiltra também nos organismos eclesiásticos enquanto tais e, em particular, nas pessoas que neles trabalham". Outro perigo: "O dos traidores da confiança ou dos que se aproveitam da maternidade da Igreja, isto é, pessoas que foram selecionadas com cuidado para dar maior vigor ao corpo e à reforma, mas, ao não compreender a importância das suas responsabilidades, se deixam corromper pela ambição e a vanglória e, quando são delicadamente afastados, autodeclaram-se equivocadamente mártires do sistema, do "Papa desinformado", da "velha guarda"..., em vez de entoarem o mea culpa."

Por Anselmo Borges